«Reflexão do Dia com Irmã Lúcia Abreu»

* Quinta, 24 de novembro de 2022 *

Reflexão do Dia trazida até nós pela Irmã Lúcia Abreu, cm

A verdade é que as nossas sociedades ocidentais

estão a viver uma silenciosa mudança de paradigma:

o excesso (de emoções, de informação,

de expectativas, de solicitações…)

está a atropelar a pessoa humana

e a empurrá-la para um estado de fadiga,

de onde é cada vez mais difícil retornar.

O risco é o aprisionamento permanente

nesse cansaço, como explicava

profeticamente Fernando Pessoa:

«Estou cansado, é claro, porque a certa altura,

a gente tem de estar cansado.

De que estou cansado não sei:

De nada me serviria sabê-lo

pois o cansaço fica na mesma.»

(In A mística do instante, O tempo e a promessa– José Tolentino Mendonça– Paulinas)