«Isto de se pôr a adorar um boi feito de ouro pode fazer-nos sorrir.»

* Quinta, 04 de abril de 2019 *

Reflexão do Dia trazida até nós pela Irmã Lúcia Abreu, cm

 

Êxodo 32, 7-14

Fizeram um bezerro de metal fundido, prostraram-se diante dele…

Isto de se pôr a adorar um boi feito de ouro pode fazer-nos sorrir. Seria algo de primitivo, inculto… E, contudo… continua tão atual. Troca o “bezerro de metal fundido” por um qualquer homem forte populista, pelos intermináveis debates e análises sobre o futebol, pela ideologia de género, pela lipossucção ou pelo implante que está em saldo. Tão tolos somos, que entregamos o melhor de nós mesmos, a nossa adoração, a coisinhas tão banais, tão incapazes de nos fazer ser mais.

Comecei esta Quaresma

Colocando as cinzas sobre a minha cabeça,

Arrependido, venho ter conTigo,

Reconhecendo que tanta da minha adoração

Vai para as cinzas,

Para os tantos deuses que invento

E que nada são.

Arrependido,

Estendo para Ti as minhas mãos:

Só Tu me poderás perdoar,

Ajudar a reencontrar o centro,

a libertar-me das mentiras

Em que me enredei.

(In Rezar na Quaresma  – Pe. Rui Alberto – Edições Salesianas)

Reflexão