«E quando é que chega a hora da felicidade?»

* Quarta, 31 de outubro de 2018 *

Reflexão do Dia trazida até nós pela Irmã Lúcia Abreu, cm

 

A sabedoria é a vida mesma: o real do viver, a existência não como trégua, mas como pacto, conhecido e aceite na sua fascinante e dolorosa totalidade. Não se trata apenas de viver o instante, tarefa inútil, pois a vida é duração. Aquilo que nos é dado dura, e nós dentro dele, com ele, por ele. Não é a flor do instante que nos perfuma, mas o presente eterno do que dura e passa, do que dura e não passa.

«E quando é que chega a hora da felicidade?», perguntamo-nos. Chega nesses momentos de graça em que não esperamos nada. Como ensina o magnífico místico alemão do século XVII: «A rosa é sem porquê, floresce por florescer / Não se preocupa consigo, não pretende nada ser vista.»

(In O pequeno caminho das grandes perguntas  – Quetzal – obras de José Tolentino Mendonça)

Reflexão