A rádio

Os Fundadores do Posto Emissor do Funchal

(por ordem alfabética)

Arlindo Paulo Ramos

Nasceu a 25 de Janeiro de 1904, no sítio da Quinta dos Reis, freguesia do Monte, filho de João Gomes dos Ramos e de Olímpia Ferreira dos Ramos.

Trabalhou para o Banco da Madeira desde 1917, chegando a desempenhar as funções de chefe de contabilidade daquela instituição. Conhecedor profundo da técnica bancária, serviu com inexcedível zelo e competência as suas funções, sendo considerado por todos os que trabalhavam na atividade.

Casou com Rosa do Patrocínio Correia Ramos e teve três filhos: Maria Helena Correia Ramos, José Olavo Correia Ramos e António Manuel Correia Ramos.

Arlindo Ramos foi durante muitos anos membro da Ação Católica, tendo exercido as funções com dinamismo e dedicação, chegando a ocupar cargos diretivos. Este sócio fundador do Posto Emissor de Radiodifusão do Funchal, Lda. acreditou sempre num projeto de rádio de influência cristã, voltado para os grandes temas da atualidade regional.

Faleceu de doença súbita, com 61 anos, a 05 de Novembro de 1965, deixando uma profunda saudade entre todos aqueles que com ele trabalharam.

Herculano Lourenço dos Ramos

Engenheiro eletrotécnico, nasceu no sítio da Quinta dos Reis, freguesia do Monte, a 10 de Agosto de 1893. Herculano Ramos era filho de João Gomes dos Ramos e de Olímpia Amélia dos Ramos, tendo frequentado o Liceu do Funchal onde acabou o curso em 1913. Terminados os estudos na região, matriculou-se no Instituto Battersea Polytechnic, reconhecido pela Universidade de Londres, onde se formou em engenharia eletrónica em 1918.

De regresso a Lisboa, chefiou a secção técnica da firma William Hinton & Sons, na capital portuguesa, dirigindo montagens de equipamentos, no Continente e em Espanha, exercendo a sua atividade até 1922.

Na Madeira, depois da sua vinda, foi diretor dos Serviços Municipalizados das Águas e Saneamento da Câmara Municipal do Funchal, cargo que ocupou até 30 de Abril de 1953, altura em que os serviços que coordenava passaram para alçada da Comissão Administrativa dos Aproveitamentos Hidráulicos, onde passou a exercer o cargo de diretor dos Serviços de Eletricidade.

Foi sócio efetivo da Antiga Associação dos Engenheiros Civis Portugueses e da Ordem dos Engenheiros Portugueses, tendo igualmente desempenhado funções pedagógico-didáticas na Escola Comercial e Industrial do Funchal e no Liceu do Funchal. Herculano Ramos foi ainda vogal da comissão executiva da Junta Geral da Câmara Municipal do Funchal e vogal da comissão distrital da União Nacional.

Católico, Herculano Ramos faleceu na casa de sua residência, na Rua da Levada a 14 de Agosto de 1967.

William Edward Clode

William Clode nasceu na cidade do Funchal a 13 de Setembro de 1900, tendo falecido em Outubro de 1980. Doutorou-se, com distinção, em Medicina em 1925, na Universidade de Coimbra, onde defendeu a tese “O problema sexual no meio Académico”. Enquanto estudante William Clode tornou-se sócio do C.A.D.C. de Coimbra. Tendo sido um dos elementos preponderantes na movimentação da vida académica. Fundou na Associação Católica o Lactário de Nossa Senhora, que fazia parte da conferência de S. Vicente de Paulo, de que foi presidente. Regressado ao Funchal, fundou a Associação Gota de Leite, o Dispensário Infantil e a Juventude Católica Antoniana. Em termos culturais William Clode desenvolveu um profundo trabalho no Grupo Coral da Juventude Católica Antoniana, na Tuna de Bandolins e no conjunto musical “Os Antonianos”. Foi um dos fundadores da Sociedade de Concertos da Madeira, da Academia de Música e Belas Artes (hoje Conservatório) e da Academia de Línguas da Madeira. Como médico, desempenhou as funções de diretor de Serviços de Medicina I no mesmo Hospital durante 40 anos e ajudou, com o seu dinamismo, a fundar a Casa de Saúde de Vila Guida, que relevantes serviços prestou à comunidade. Ainda na atividade médica trabalhou na Casa de Saúde do Trapiche, dos Irmãos S. João de Deus e foi igualmente médico-escolar, no Liceu Nacional do Funchal. William Clode passou também pela política, chegando a vice-presidente da Câmara Municipal do Funchal e vogal da mesma desde 1932 a 1940. A sua principal preocupação foi a criação de escolas, postos médicos e o alargamento da rede de energia elétrica.

Luiz Peter Clode

Nasceu na freguesia de Sta. Luzia a 1 de Abril de 1904. Era filho de Archibald George e de Maria Crawford do Nascimento. Casou com Maria Helena Ferreira de Andrade de quem teve nove filhos. Formou-se em Engenharia Mecânica e Eletrónica na Universidade do Porto. Na cidade Invicta foi professor dos colégios Almeida Garrett, da Boavista e do Instituto Drumond. No Funchal foi Diretor dos Serviços Industriais, Elétricos e de Viação da Junta Geral do Funchal, Chefe do Instituto Português da Conserva de Peixe da Madeira. Foi professor da Escola Industrial e Comercial do Funchal, do Seminário Diocesano e do Colégio do Sagrado Coração de Jesus. Durante o período da II Guerra Mundial foi nomeado membro da Comissão de Racionamento de Combustíveis da Madeira, tendo sido louvado pelos serviços prestados. A música foi uma das suas paixões. Compôs várias obras do género profano e sacro, muitas das quais já foram interpretadas por pianistas de fama internacional. Foi um dos fundadores da Sociedade de Concertos da Madeira e da Academia de Música, mais tarde Academia de Música e Belas Artes. Por sua proposta em 1963 criou-se, naquele estabelecimento de ensino o curso de Línguas. Foi fundador e editor da revista das Artes e da História da Madeira, de que foi Diretor de 1950 a 1974. Foi um dos Fundadores do PEF e seu Diretor até 06 de Abril de 1990, data do seu falecimento.

** – **

PEF2Em meados da década de quarenta, os irmãos William Edward Clode, médico e Luís Peter Clode, engenheiro eletrotécnico, que, entre outras atividades culturais, se dedicavam à música e à sua divulgação, associaram-se ao engenheiro Herculano Ramos e ao seu irmão Arlindo Ramos, personalidades ligadas à área do comércio de equipamentos de eletrónica, para a constituição de uma estação de rádio. Para o desenvolvimento do projeto, foi fundamental a colaboração de um habilidoso e competente radioamador de reconhecido mérito nacional e internacional, João Higino Acciaiuoli Ferraz, o qual deu uma apreciável contribuição técnica à iniciativa.

Após um período experimental, o Posto Emissor de Radiodifusão do Funchal foi oficialmente inaugurado a 28 de Maio de 1948, nas instalações do Teatro Municipal Baltazar Dias, onde funcionaram provisoriamente os primeiros estúdios da nova estação de rádio.

O Posto Emissor do Funchal começou a sua atividade de radiodifusão sonora em 1948 com um emissor de 150 watts em Onda Média, transmitindo em dias alternados da semana. Em 1952, aumenta a potência para 500 watts e as emissões passam a ser diárias. Mais tarde, em 1959, os estúdios mudam-se para a Rua da Ponte de São Lázaro (atual sede do PEF) e passa a emitir com 1 kwatt de potência e em 1986 com 10 kwatts.

Em 1967, o Posto Emissor do Funchal começa também a operar em Frequência Modulada (FM), sendo na região a primeira estação de rádio a transmitir nesta frequência, de início apenas com 250 watts, sendo com a FM da Rádio Renascença um dos berços da FM em Portugal. A partir de 1997 passa a emitir com 2 kwatts.

Em 1991 é colocado em Santana um retransmissor de OM com a potência de 1 KW e frequência de 1017 KHz.

Entre 1967 e 1998, o PEF passa por diversas transformações a nível de crescimento e expansão. Desse esforço, resulta uma emissão de 24 horas por dia, tanto em Onda Média como em FM, através dos três centros emissores, situados em Santo António (Sítio das Encruzilhadas e Barreira) e São Jorge.

Balcões3Desde 2011 está em funcionamento o Centro Emissor do Chão dos Balcões, junto ao Poiso. Para esse efeito, foi construído um edifício com as condições adequadas para a instalação dos emissores de Onda Média e uma torre de 60 metros de altura, tendo sido desativado o Centro Emissor de São Jorge.

Paralelamente à atividade de radiodifusão sonora, desde 1992 o Posto Emissor do Funchal promove e publica o Almanaque PEF.

Informação respeitante à Transparência da Propriedade e Gestão (artigo 3.º da Lei 54/2010):
O capital social é no valor de 115.500,00 euros e está distribuído em quatro quotas: uma de cinquenta mil euros pertencente ao Seminário Maior de Nossa Senhora de Fátima, uma de cinquenta mil euros pertencente à Diocese do Funchal, uma de quinze mil euros pertencente em partes iguais ao Seminário Maior de Nossa Senhora de Fátima e Diocese do Funchal e uma de quinhentos euros pertencente à Sociedade de Concertos da Madeira.
Informação respeitante ao Estatuto Editorial (artigo 34.ª da Lei 54/2010):
O Posto Emissor de Radiodifusão do Funchal Lda é uma Rádio Privada e independente de quaisquer poderes políticos económicos ou sociais, inspirando a sua atividade no quadro de valores e princípios da doutrina cristã.
O Posto Emissor do Funchal é uma Rádio da Região Autónoma da Madeira, de carácter generalista, que emite 24 horas por dia em dois canais com programações distintas: Canal 1 – Onda Média (AM) na frequência 1530 KHz e Canal 2 – Frequência Modulada (FM) na frequência 92.0 MHz.
O Posto Emissor do Funchal tem produção própria de programas formativos e informativos, assumindo a responsabilidade pelo conteúdo das suas emissões nos termos legais.
O Posto Emissor do Funchal procura informar de forma isenta, rigorosa e pluralista, com respeito pelos princípios da ética e da deontologia, privilegiando os factos, os temas e as questões próprios da Região Autónoma da Madeira ou os que a ela se referem, sem prejuízo da restante informação de carácter nacional e internacional.
O Posto Emissor do Funchal é uma rádio comercial que procura ser economicamente rentável, exercendo a sua atividade empresarial à luz dos princípios da doutrina social cristã.
O Posto Emissor do Funchal procura sinergias na colaboração com outras rádios com idêntico quadro de valores, sendo associado da ARIC – Associação de Rádios de Inspiração Cristã.