«A nossa vida esconde um poço…»

* Terça, 07 de agosto de 2018 *

Reflexão do Dia trazida até nós pela Irmã Lúcia Abreu, cm 

A nossa vida esconde um poço, mesmo se sentimos a aridez a cobri-la com o seu fino manto de desolação. Resmungamos com a vida. Falta-lhe alguma coisa, nunca nada é perfeito, nunca nada está acabado, nada resolvido. É como se estivéssemos a jogar a um jogo insolúvel: se temos o poço, falta-nos a corda; se temos a corda, falta-nos o balde; se temos a corda, o balde e o poço, falta-nos a força para irmos até ao fundo da nascente buscar a água que nos dessedente.

 

O que nesta narrativa se ensina é que cada um de nós tem aquilo de que precisa para experimentar a alegria. Não é um problema de conhecimento, é uma questão de olhar. Olharmos para o que somos e para o que nos rodeia com um coração capaz de sintonizar com o dom que nos habita. Se encostarmos o ouvido à extensão da nossa vida, ela cantará!

(In O pequeno caminho das grandes perguntas  – Quetzal – obras de José Tolentino Mendonça)

Reflexão